“Versos da foz dos rios”

Dificuldade:
quem fala dos trabalhos que passou, no momento da chegada? Só quem desceu o rio, perdido na corrente
Eu mergulho, apenas nos rios a quem me dou, para a alegria de alcançar, de cada um, a sua foz
Preço:
Local de encontro, a foz de um rio é generosa. Dá-se-nos, no momento em que nos damos
Ingredientes:
três desejos de aventura; dois sonhos de juventude; uma paixão adolescente; um momento de cansaço verdadeiro; paciência de pescador

Preparação:
Lanço-me ao rio, sem medo e sem vergonha
Meu sonho é navegar é ser feliz
E se agora falhar tento outra vez

A aventura começa se alguém sonha
O futuro é também o que se quis
Eu sei: há sim e não e talvez

Hei-de chegar à foz deste meu rio
Hei-de encontrar meu leito derradeiro
Hei-de ser eu. Hei-de cumprir-me inteiro

Consumir:
Lentamente, sem pressas insatisfeitas, dando espaço aos sonhos e ao cansaço.

(de: Receitas Poéticas de Xico Braga - que me deu o seu livro uma noite destas na Trafaria. Xico, desculpa a fotografia não ser a p&b, eu até experimentei, mas gosto mais dela assim.)

     clik1      clik2      clik3      clik4      clik5      clik6      clik7      clik8     

17 comentários:

Gabiprog disse...

Los rios traen y llevan... y muchas veces sin permiso. Caprichos de un agua que nunca repite.

Buena es la ventana de la foto, parece que no se podra cerrar nunca!

kiko esperilla disse...

Y detrás del muro la libertad. Muy buena Caçador. Un abrazo

ruimnm disse...

Mais um fantástico conjunto de um mestre a seguir.

Ví Leardi disse...

magistral foto e poema (e desejos)...naõ sei quem nasceu primeiro...Bravo!!!
bêjos

jugioli disse...

Estou aqui, consumindo lentamente, sem pressa tamanha poesia entre imagens e palavras.

@discursos

Ángel Corrochano disse...

Que composición tan genial. Sencilla, minimalista, muestra lo justo e imprescindible. Perfecta

Un abrazo amigo

AB disse...

Composición fenomenal!

Merce disse...

A composicion e sorprendente, maxistral, gustame esa mirada, vou aprendendo dela, paseniño, moi paseniño...

Bicos

Micha disse...

bela ideia teres tirado 2 dos tijolos! Lindissima! Um dos melhores tiros!

L.Reis disse...

...assustam-me os muros na sua impassibilidade de pedra, assusta-me a monotonia opaca que me sufoca o olhar...e esqueço-me que algures há sempre uma fresta em direcção ao azul.

(já assaste as sardinhas? É que eu estou quase a chegar :D)

CARLOS disse...

hola ,llego a tu blog desde casa de Ripley y me encuentro un blog lleno de color y luz me encantan tus fotografias..con tu permiso seguire por aqui viendo tus progresos...
salu2

Sérgio Aires disse...

Tenho algures uma fotografia igualzinha a esta. Os olhares têm destas coisas...

Caçador disse...

Sérgio, é o que faz a partilha de territórios de caça...

Caçador disse...

Carlos, gtacias por tu visita y comentário. És sempre bem vindo.

William Alexander López disse...

Una receta perfecta, no sabes como me gusta y me llamo la atención la composición que has realizado, muy bien enmarcada

Abrazos

Montse Puig disse...

Preciosa. Saludos!

clo disse...

elle est parfaite cette photo...
j'aime beaucoup le concept...
super...
ciao...