“Ich bin ein Berliner”


Foi há 20 anos que caiu o muro. Que se rasgou a cortina de ferro. O fim da guerra-fria. Oito meses depois, vivia-se em Berlim um clima que só me fez lembrar o nosso verão depois do 25 de Abril. Alegria, alguma confusão e uma enorme esperança no futuro. Mais tarde, veio o desencanto…
Nós nunca soubemos como era de facto do outro lado. Só tínhamos duas versões: a do paraíso dos trabalhadores, a prática do verdadeiro ideal socialista, ou então, a do inferno comunista, a raiz do mal. Em todo o caso, sabemos agora um pouco mais, com a distância dos anos. Não era tão mau nem tão bom como ambos os lados apregoavam. Mas não deixa por isso de ter sido uma grande e imperdoável mentira.

O muro, de Berlim, é história. Mas para nossa vergonha, os muros continuam aí a crescer e a multiplicar-se um pouco por todo o lado. Muros que impedem a entrada, muros que bloqueiam a saída. Muros, paredes, redes, arames farpados, barreiras, campos de minas, muralhas, fronteiras… Limites. E os outros, que não são de ferro nem betão, mais duros que o aço.  Limites. Religiosos, políticos, económicos, sociais… Temos medo e erguemos muros. Lá fora e dentro de nós.

Não aprendemos nada!


clik1     clik2    clik3     clik4     clik5     clikPC     clikChapa     2ºclikChapa     clikCristina     2ºclikCristina     3ºclikCristina     clikanonimozinho     clikRaq  

18 comentários:

Caçador disse...

E pronto, termina aqui esta série sobre as (minhas) memórias de Berlim. Apercebi-me agora que nenhum destes últimos cliks é de música, se quiserem fazer o favor de corrigir essa falta, era lindo.

Esta foto assinala o lugar onde morreram essas pessoa a tentar atravessa o muro, uma delas somente 9 meses antes da queda. De vez em quando encontravam-se cruzes destas com a data e o nome de uma vítima da malogra tentativa. E, mesmo numa rede, a dimensão do muro tornava-se mais real.

Obrigado pela vossa paciência e colaboração, foi uma experiência muito interessante e frutuosa.

PC disse...

Vi este documentário na RTP2, um dia destes, com uma entrevista ao guarda que desobedeceu a ordens superiores e mandou abrir esta fronteira. Como em 74,em Portugal, alguém desobedeceu. Quer um quer outro permitiram que momentos históricos acontecessem. Mas de quem nunca se fala.

http://www.youtube.com/watch?v=1_eCVhCGYwE&feature=related

Caçador disse...

Muito bem observado PC, tens toda a razão. Muito obrigado.

E um bêjo

ruimnm disse...

Neste final (em grande), não me apetece ouvir música. Apenas contemplar a imagem e ficar por cá.

Chapa disse...

A estupidez dos homens é infinita.
http://www.youtube.com/watch?v=6N_1JIW4I_4

Chapa disse...

Por fim, e porque a ocasião é solene, deixo aqui um hino a condizer com o momento.
http://www.youtube.com/watch?v=vt9imevrvOY

kiko esperilla disse...

Absolutamente nada de nada Caçador. Me impresiona la foto. Los primeros son siempre heroes, de los últimos nadie se acuerda, son como muertos inutiles. Produce desasosiego la fecha, 6-2-89 ¡tan cerca de la tierra prometida! Fantástica la serie. Abrazos

Ángel Corrochano disse...

Hoy viendo las noticias en la tele, he recordado tu serie.
Gran reflexión, amigo. Pero realmente, esos 70 años de intento de socialismo en diferentes países, no ha servido para nada?, qué otras conclusiones se pueden sacar?, qué enseñanzas?, es el capitalismo la única alternativa? ... tantas incógnitas y ninguna voluntad de esclarecerlas.

un abrazo

cristina disse...

Caçador, este belo e surpreendente epílogo disparou certeiro (uma vez mais) na inspiração deste senhor. Apesar da consciência de que três clicks é um abuso, não consegui decidir e, por isso, aqui vai um pedido de ajudinha... :-)

http://www.youtube.com/watch?v=x1YkHJJi-tc

http://www.youtube.com/watch?v=HKkZL86ZaOw

http://www.youtube.com/watch?v=w5FGLb7xpoU

Caçador disse...

Ángel, no se que te diga, pero ja no creo, como diz Kiko, en la tierra prometida...
abrazo

Cristina minha querida, eu ia lá escolher... então neste caso... escolher também é excluir e eu não quero tirar nada.

Bêjos

anonimozinho disse...

http://www.youtube.com/watch?v=gAmgztWLgHs

Caçador disse...

anonimozinho. gostei. :-]»

XuanRata disse...

Así es: los muros se levantan siempre contra el miedo y lo perpetúan.
He disfrutado del paseo por el muro de tus últimas entradas, un muro hecho de ventanas abiertas a una geografía y un tiempo que uno siente muy cercano, como si aún no hubiera terminado del todo. Es curioso que ahora aquellos restos del muro que se vendían como fetiches hoy se hayan convertido en restos de ilusiones perdidas. Pero supongo que los que pudieron vivir aquellos momentos in situ guardan al menos en su memoria una experiencia de lo posible que les acompañará siempre.
Gran serie, amigo.

Raq disse...

Ils ont peur de la liberté
http://www.youtube.com/watch?v=5cK71R6ZjAc

kiko esperilla disse...

!Ay! Caçador, yo tampoco creo en la tierra prometida, pero los que se jugaron la vida por cruzar tal vez si. Todos los hombres perseguimos un sueño, aunque sea un espejismo. Me fascina la historia de esos personajes a los que la historia les pilla con el paso cambiado. Si el sueño de Chris Geoffroy era pasar al otro lado, lo podía haber hecho tan solo unos meses después, comodamente y por la puerta de Branderburgo, aunque solo fuera para comprobar que el infierno comunista era real, pero no existe el paraiso capitalista. ¿Y entonces? Un fuerte abrazo meu amigo.

Clarice disse...

Adorei todas estas fotos, são lindas...Parabéns!!
Gosto desta cor que as imagens trazem com o tempo... em casa dos meus pais havia uma gaveta onde os meus dedos se perdiam por entre fotografias com tonalidades semelhantes...

Mas a cor mais bonita destas imagens está na forma como descreves os "muros" e principalmente... " os outros, que não são de ferro nem betão, mais duros que o aço"..."Temos medo e erguemos muros. Lá fora e dentro de nós".

Adorei!!

chanclas disse...

Qué buena esta serie sobre Berlín. Y que adecuada en estos dias. ¡Como cambian las cosas y qué deprisa! Conviene que los jovenes que no vivieron el Muro, no lo olviden. No hay que olvidar la historia para no repetir los mismos errores. Gracias por estas magnificas fotos.
Saludos.

Ratzfatz disse...

ick och! (en la lingua de B.) yo tambien ... nací en Berlin :)
Muy, muy buen trabjo, tienes muy buenas fotos en tu blog!! Me gustan mucho