private dance party


Como sabem, em Lisboa está a haver uma festa privada. O que significa que é só para convidados. Sem convite não se entra, claro. Que o digam todos aqueles que ficaram detidos nas fronteiras. É uma festa exclusiva, fato e gravata. E estradas cortadas, polícia, comércio fechado, barreiras por todo o lado, polícia, barcos de guerra no Tejo, espaço aéreo fechado, polícia… Enfim, não se pouparam a esforços, nem despesas, para que nada estrague a festa. A festa dos donos do mundo. Ou melhor, dos polícias do mundo, que trabalham, como cães de guarda, para os donos do mundo. Ou dono, ouvi dizer que se chama Mercado.
Parece que não é só uma confraternização, parece que também vieram para trabalhar no novo paradigma de defesa que significa, mais ou menos, uma nova definição de inimigo. E aqui é que a coisa se torna esquisita e me começa a fazer comichão, é que o inimigo agora é um gajo anónimo. É confuso? Eu explico, os inimigos deixam de ser países, estados com territórios e fronteiras, mas algo mais difuso e disperso.
É o caso do terrorismo, o que eu percebo, é uma coisa perigosa e sem rosto; mas, quem define o que são os terroristas? E nesta nova óptica, os timorenses que lutavam pela independência seriam terroristas, só para dar um exemplo assim mais familiar. E há ainda os terroristas ecológicos!!! Quem? Os que poluem e envenenam isto tudo em nome do lucro ou os que protestam contra isso? Como é que vão actuar aqui os polícias do tal senhor Mercado? Outro perigoso inimigo, sem rosto, e que se poderá manifestar, é o informático, ah pois. Só que aqui fiquei baralhado, ajudem-me, qual é o verdadeiro perigo: um possível ataque aos sistemas informáticos, segredos de defesa e esse tipo de coisas – ok, um perigo real – ou aqueles que usam a net como um território sem fronteiras, espaço de liberdade de informação e partilha, e que estão a ser cada vez mais limitados ao ponto de digitar a palavra liberdade fazer soar os alarmes na China?
Isto de demasiado poder na mão dos militares, confesso que me assusta. Vejam Lisboa, hoje é uma cidade sitiada e já não falo dos incómodos da coisa – mais valia que fossem para as Berlengas – Portugal neste momento é um estado concentracionário, um país com a liberdade condicionada. E isto, meus amigos, é, no mínimo, inquietante…


clik1    clik2    clik3    clik4    clik5    clikChapa    clikAnonimozinho    clikGajo    clikChocoOba    clikIris    2ºclikIris  

19 comentários:

Chapa disse...

Cidade sem título e com gente.
http://www.youtube.com/watch?v=hIjsYL4lzFg

anonimozinho disse...

http://www.youtube.com/watch?v=7movKfyTBII&feature=list_related&playnext=1&list=MLGxdCwVVULXehYS0Ie6c6pnfwoPJia-S3

the dear Zé disse...

é pá Chapa, não tem título porque eu me esqueci de o pôr. vai já de seguida...

Gajo Anónimo disse...

A sofisticação da hipocrisia...

http://www.youtube.com/watch?v=l4g7MnwF4AE

Chocobama disse...

http://www.youtube.com/watch?v=KV0-biHAtNY

IRIS disse...

sem título estava também muito bem. é mesmo isso, a impossibilidade de defesa perante um inimigo sem identidade, seja o terrorismo, seja o mercado, que é uma espécie ainda mais disforme, informe, insidiosa de terrorismo, sejam todos os outros inimigos "imaginários", públicos e privados, que se colam aos nossos dias.
in this party, how I wish to know what you're looking for...

http://www.youtube.com/watch?v=pK7egZaT3hs

IRIS disse...

... mais um, antes que a festa termine

http://www.youtube.com/watch?v=A8hVhW7QRS8

XuanRata disse...

Estamos sufriendo un golpe de estado económico y hacemos como que no nos enteramos. Vivimos una época de desmantelamiento. Pero hay fiestas a las que tal vez sea mejor no ser invitado.

ruimnm disse...

mas então não gostas que o Santo Obama esteja em Portugal? ele veio agradecer ao país que gerou esse magnífico espécime de cão e o nosso Silva até lhe deu um cão de louça para se lembrar do momento.
eu estou a adorar.

manuel nieto disse...

bella foto e iquietante el texto que acompaña, un abrazo

Camarandante disse...

La foto es buenísima. Parece uno de eso monumentos de los caídos en cmbate... pero de música.
El texto, verdaderamente fuerte, sentido, profundo. Un verdadero llamado a la libertad.
Un abrazo compañero!

Dejemonos sorprender disse...

Hola, maravillosa toma.. me encanta como se ven las siluetas de estas personas.. que manera de moverse :)

chanclas disse...

Tus palabras reflexionar, que tanta falta hace en estos tiempos que nos tocó vivire.
La foto verdaderamente acertada.
Saludos

Ángel disse...

Vivimos tiempos oscuros amigo mío y nos desvelamos impotentes, apáticos y casi despreocupados ante ellos. Es necesario una llamada a las consciencias porque esto no ha hecho más que empezar ...
Sabes fotografiar con doble intención y disparar justo a la cabeza.
Magnífica entrada compadre
Un abrazo

ana barata disse...

Acutilante e inquetante.

Sugestão: http://www.youtube.com/watch?v=S7Xgezw_y9E

Beijo.

Merce disse...

ocurriame un temiña dos meus amados pink, mais, igual e un chisco agresivo en canto a inquietude, deixo para outra ocasion...

digo eu que, aparte de que a fotografia encheme o ollo, deixa ver un ceo azul que caseque anula toda esa inquietude...

inguietude, que tamen me invade a min...

biquiños cheos de tranquilidade :)

Cla Leal disse...

Genial, Zé!!! Essa foto é muito incrível, o que só reforça o belo trabalho que você faz!!!
beijos

kiko esperilla disse...

Demasiado inquietante

Hellag disse...

e uma festa que, não sendo convidado, paga na mesma e muito! :)
(eu até prefiro chamar-lhe de circo!!!)