“Davam Grandes Passeios aos Domingos” IV


… gostavam da costa na primavera, as tardes calmas passadas frente ao mar dentro do automóvel, ela a tricotar, ele a ler o jornal ou a ouvir o relato. trocavam poucas palavras, talvez com medo de as gastarem. de vez em quando ele olhava para os surfistas a brincarem com as ondas. às vezes ela seguia o voo de uma gaivota, distraída daquela esgrima de agulhas, e suspirava. não tiveram filhos, não puderam. ele ainda hoje pensa que o corpo dela é solo estéril, nunca teve coragem de lhe revelar o que disse o médico…
se calhar é por isso que ele teve amantes, tantas noites a chegar a casa com o sol a nascer, a deslizar para dentro do quarto devagarinho para eu não ouvir. aquele hábito de tomar sempre um banho primeiro, a lavar os restos da noite com medo que eu cheirasse as putas com quem se deitava. eu, muito quieta, quase sem respirar, no meu canto da cama, com receio que percebesse que estava acordada. nunca me bateu nem nunca me ralhou, é verdade. mas também nunca me elogiou, quanto mais a esmola de uma carícia a disfarçar o desprezo que tem por mim. não sei porque é que não se foi embora. porque é que não te vais embora. um dia queixei-me e disse-me que sempre me respeitou. eu não quero o teu respeito estúpido, não isso a que chamas respeito, quero que me agarres com força, quero o teu corpo no meu, quero os teus dentes na minha nuca, a barba a arranhar-me as coxas. quero que me tomes com o mesmo desejo que guardas para essas mulheres, que me faças as mesmas coisas, que me digas palavras porcas ao ouvido e não esta, esta coisa que fazes por obrigação, esta dor de não te sentir comigo quando estás em mim… quero que passeies comigo de mão dada e me beijes na rua, quero... não sei porque é que eu nunca te disse isto antes e queria tanto dizê-lo.
mas porque é que nunca me disseste isso? eu sempre te quis dar a mão na rua tentei uma vez e tu esquivaste-te não digas que não eras tão solene tão senhora o teu pai tinha bens e eu intimidado é verdade isso do respeito o respeito é muito bonito foi o que me ensinaram e eu não podia pensava que não podia tratar-te como às outras um homem tem desejos vontades e eu não te queria envergonhar e era a ti que eu queria espreitava-te quando te despias a tua pele branca a encadear-me e eu a querer-te assim sem reservas selvagem e sem coragem para não te ofender tu sempre tão recatada tão senhora tão...
… gostam da costa na primavera, as tardes calmas passadas à beira mar, os longos passeios pela praia, os pés descalços quando não está frio, sempre de mãos dadas. há momentos em que param, distraídos, a seguir o voo de uma gaivota ou em que se sentam numa rocha a descansar e a ver os surfistas a brincarem com as ondas. às vezes ela suspira e ele põe-lhe um braço à volta dos ombros, sem dizer nada…

22 comentários:

Li Ferreira Nhan disse...

Eita! Ando com tanta vontade de mar...
...
Um clik Domingo no Parque só com feras da MPB; um dos meus clássicos preferidos!
Vai com um beijo domingueiro bem brasileiro também!
;)
http://youtu.be/Zbv3M-AdxC0

Micha disse...

em uma versão mais suave ;)

http://youtu.be/f7UBDGt8VK8

mfc disse...

Um texto fantástico que pode assentar bem a tantos...
E a foto... esplêndida( e serve como legenda ao belo texto).

Um abraço

CybeRider disse...

Até que um dia... Que todos temos um dia, que bem pode ser a um domingo.

http://youtu.be/dvEqI_acD3M

Abraço

Li Ferreira Nhan disse...

Oh domingo gostoso ouvindo um Chico dos bons tempos!
Saudade desse Chico! Cadê ele meu Deus?

Agradecida ao CybeRider!

IRIS disse...

assim como que se os domingos fossem a "aritmética superior" dos dias :-) (este teu talento para ter a vida toda na cabeça e arremessar pedaços inteiros aos nossos olhos :-))

http://www.youtube.com/watch?v=vrM2G1YgDYY

http://www.youtube.com/watch?v=1qWJ6iOzrYY

um grande beijo

luísM disse...

Nunca te tinha visto tão nostálgico. Passou mais um aniversário?

Chapa disse...

A vida é como uma valsa.
http://youtu.be/gjh5Kt77yiA

Choca disse...

http://www.youtube.com/watch?v=8_3mW6gS4SM&feature=fvsr

ZEKARLOS disse...

Espectaculo, gostei bué. Diz ao gajo da cidade tatuada que o lobo mau foi visto na segunda rotunda antes de chegar a peniche, LOL. abraço

ZEKARLOS disse...

Espectaculo, gostei bué. Diz ao gajo da cidade tatuada que o lobo mau foi visto na segunda rotunda antes de chegar a peniche, LOL. abraço

the dear Zé disse...

ok

:.tossan® disse...

Belíssima cronica! A foto é uma poesia! Abraço

Margaridaa disse...

Gosto do final feliz. Porque afinal, desencontros é tão fácil acontecer, e às vezes por um nada!

the dear Zé disse...

pois é, tem um final feliz. às vezes distraio-me...

rui mnm disse...

parece que se integram na perfeição com a paisagem pedregosa.

João Mourão disse...

E no fim de quase tudo vivido, e do tempo perdido, as mágoas lávam-nas as marés. Fantástico.

at disse...

é tudo uma questão de desfazer mal-entendimentos?
http://youtu.be/pKzoXuEkk00

the dear Zé disse...

olha, bem visto.

e obrigadinho a todos

bêjos e/ou abraços

Alex disse...

: )

Remus disse...

Grandes loucos. :-)
Mas no final tudo se resolveu.

Rute disse...

Excelente crónica de encontros e desencontros...e há tanta vida que assim se vai fazendo!...esta história teve um final feliz:))

* Deliciei-me a ler...

1 beijo