Do ofício da mineração e da prospecção geofísica dos corpos espectrais


Continuamos às voltas na mina. O edifício central do poço atrai com uma força inusitada, pólo magnético ou abismo que suga as vontades como um buraco negro. Não se iludam com a cor, o vermelho das paredes não se deve ao Sol do fim do dia, mas ao sangue embebido no barro dos tijolos. Ao sangue dos que morreram na mina, nas galerias fundas no fim do poço, emaranhado de túneis onde o calor e a humidade cozem os homens no estômago da terra e os pequenos pássaros nas gaiolas são os primeiros a sucumbir. Aos que morreram perfurados pelas máquinas na luz cega dos subterrâneos. Aos que foram vítimas de desmoronamentos, esmagados pela riqueza do minério ou pelo sufoco de veneno do pó. Ou ainda, àqueles que não envelheceram, tolhidos pela fraqueza dos pulmões que os atraiçoaram demasiado cedo…

18 comentários:

clo disse...

le devoir de memoire n'a jamais changé l'horreur de certains destins :(....mais il est bien de ne pas laisser tomber dans l'oubli definitif la souffrance de ceux qui ont vecu dans ces murs ....
tout mon respect.... :)une bonne soirée..

Robert disse...

Magnificos fotografia

Ángel Corrochano disse...

Todo un homenaje a las gentes de la mina, bravo!!!!
Qué gran foto, que fuerza tiene y que color tan espectral.
Un abrazo compañero

Chapa disse...

http://www.youtube.com/watch?v=_Sr2ow_ZH9w

O período não é o mais próximo, mas o ambiente e o espírito da coisa estão de acordo.

Chapa disse...

Este é obrigatório:
http://www.youtube.com/watch?v=MelcSAu0OSk
Até arrepia.

Caçador disse...

Boa, tio.

Dominique disse...

cela me fait penser au rouge du sang des ouvriers ...

Caçador disse...

Oui Dominique, c'est ça qui est dans le texte.
Merci de venir ici.

Micha disse...

voila


http://www.youtube.com/watch?v=YPvHo1EA7gA

Caçador disse...

Magnífico Micha, obrigado.

chenfy disse...

me gusta el procesado rojizo de los ladrillos.
salu2

AB disse...

Foto muito boa.

Pelos mineiros devem fazer uma estatua.

luisM disse...

Bom motivo para fotografar. Só o espaço é quase meia fotografia, sem desprimor para vocência, claro está!
E tem uma vantagem, em chegando lá, presumo que se pode estar atrás da máquina à vontade, sem pessoal a chatear. Tanta coisa exige uma certa concentração, para ser revelado e dado a ver. Há gente que se dedica a fazer o levantamento dos marcos, memórias, da revolucão industrial. Têm saído projectos muito curiosos. Avança!

Até à próxima, foto!

William Alexander López disse...

Cuantas victimas por la avaricia de otros ! , Una lastima

Buen trabajo amigo

ruimnm disse...

Excelente imagem! O que mais me salta à vista é essa cor velha "acobreada". Parabéns por este último trabalho.

ana barata disse...

Dos fracos não reza a história, dizem. Mas são eles que sempre a fizeram, anónimos, vivendo o pão que o diabo amassa e morrendo assim como os mineiros cuja memória aqui nos trazes através desta magnífica fotografia e deste texto.

Aqui fica o meu contributo:
http://www.youtube.com/watch?v=5iAIM02kv0g

beijo.

Caçador disse...

Ana B, obrigado, estou a ver que desta vez não vendo os cliks todos.

cristina disse...

Caçador, o problema aqui foi mesmo encontrar banda sonora justa para esta imagem e para este texto, enfim, para esta "dorida" homenagem. Encontrei isto, um "hino à imortalidade"... se ela qual fôr... se gostares

http://www.youtube.com/watch?v=c9OVvxLkYdk

é um grande prazer, esta pequenina partilha